Oi!

Que bom que você veio!

 

Este é o lançamento do clipe de
Você tá bem?
 

com carinho,
Rhaissa Bittar

Clipe

No último mês, uma pergunta rodou a internet em virtude do Setembro Amarelo, mês de campanha mundial de prevenção ao suicídio. A frase “E fora dos stories, você tá bem?” gerou uma série de discussões e memes sobre como estamos lidando com nossa saúde mental em tempos de isolamento. “Você tá bem?” também é o nome da canção lançada pela artista Rhaissa Bittar no álbum pré-pandêmico, João (2019). Não por acaso, a música foi escolhida para se tornar videoclipe, desmascarando personagens e desdobrando seus muitos significados em imagem e som.

A trama tem início no elevador e culmina na beira de um precipício, onde Rhaissa encontra com seus personagens da Nuvem e do velho João (uma máscara realista). Uma simples pergunta desperta uma grande crise existencial e a estética ‘pesadelística’ do filme contribui para exprimir a angústia da personagem, conduzida pela verborragia da letra. Apesar da intensidade das imagens, fica explicito o alívio de desmascarar-se.

 

“Desde que começou a pandemia, fiquei com vontade de filmar esse clipe aqui em casa. Essa canção é uma das que eu tenho mais respostas por inbox na internet. Percebi que ela mexe com quem a ouve e comigo também. Eu chorei desde a primeira vez que a ouvi” - conta Rhaissa Bittar, que convidou o gaúcho Guilherme Becker para, juntos, roteirizarem e dirigirem o filme. Costurando conceitos de autorreflexão e morte do ego, a dupla explora e amplifica a canção que é composta pelo músico Arthur de Faria e o escritor Daniel Galera.

Ficha Técnica

 

Direção e roteiro: Guilherme Becker e Rhaissa Bittar (ArtBittar)
Cinematografia e montagem: Guilherme Becker
Tratamento de cor: Bruno dos Anjos
Assistência de direção, dublê do João e fotografias bastidores: Mirela Lucena
Assistência de produção: Bela Leidecker
Máscara João: Daiane Baumgartner
Cabeça de nuvem: Gabi Jovine e Rhaissa Bittar
Figurino: Ingrid Milena
Apoio: Alpenhaus Pousada e Chalés Pôr do Sol
Animação do título: Ramiro Simeh
Composição: Arthur de Faria e Daniel Galera
Produção Musical: Raul Misturada
Arranjo, piano, acordeon, piano de brinquedo e glockenspiel: Arthur de Faria
Mix: Ricardo Mosca
Master: Carlinhos Freitas

foto perfil rhaissa.png

Sobre Rhaissa

 

Criativa, Rhaissa Bittar atua como cantora, atriz, locutora, videomaker e idealizadora do Sarau As Mina Tudo, festival de arte itinerante que roda o Brasil há três anos. Atualmente, dirige sua agência de arte e comunicação, ArtBittar. Como diretora de videoclipes, foi premiada no Festival de Cinema de Gramado e no Prêmio Profissionais da Música. Como cantora, tem três álbuns lançados (João-2019; Matéria Estelar-2014 indicado a melhor álbum no Prêmio da Música Brasileira; Voilà-2010). Integra diferentes expressões artísticas de maneira lúdica e seu show é uma viagem pela literatura, artes plásticas, audiovisual, moda e música. Em 2017, estreou no cinema nacional ao participar do curta A Ponte de Rafael Câmara produzido pela TNT BR. Em junho de 2019, lançou seu terceiro álbum, João. Sabe aquele velho ranzinza que mora em cada um de nós, que às vezes só sabe reclamar da vida, mas em outras é capaz de dizer algo simples e sábio? Pois bem, a Rhaissa Bittar resolveu viajar para dentro e conversar com esse senhor rabugento que mora lá. Ouça em todas as plataformas digitais! O álbum está em 12o na prestigiada lista “Os 100 melhores discos do ano” do portal Embrulhador. Como locutora, integra o prestigiado Clube da Voz - Profissionais de Voz em Publicidade de São Paulo e assinou campanha de grandes marcas.

 

capa joao.png

Sobre o álbum João

 

­­Sabe aquele velho ranzinza que mora em cada um de nós, que às vezes só sabe reclamar da vida, mas em outras é capaz de dizer algo simples e sábio? Pois bem, a Rhaissa Bittar resolveu viajar para dentro e conversar com esse senhor rabugento que mora lá. Primeira descoberta: o nome dele é João.

 

“João” acabou virando o novo álbum da cantora santista Rhaissa Bittar,. O diálogo com João logo parece um jogo de xadrez que, entre muitas pausas, revela a dor e a delícia de se viver com a cabeça nas nuvens. Foi a maneira que encontrou para falar de coisas complexas que passam pela nossa vida, das angústias daquilo que não sai como queremos à tranquilidade de saber que tudo passa. Essa serenidade pode ser ouvida no decorrer de todo o disco, com arranjos minimalistas e interpretações quase faladas. Mas apesar dos vários silêncios e do número reduzidíssimo de instrumentos, é um trabalho extremamente melódico, daqueles que fica ecoando e ecoando na nossa cabeça.

Screen Shot 2021-09-15 at 00.53.42.png